Mamoplastia (reconstrução)

Durante os últimos 30 anos a reconstrução mamária transformou-se de cirurgia rara a uma ocorrência diária e importante parte no processo de reabilitação pós- mastectomia (retirada cirúrgica das mamas).

De maneira geral, a conduta atual visa a reconstrução da mama extirpada imediatamente, no mesmo ato cirúrgico, o que não altera o seguimento quimioterápico ou radioterápico quando indicados, diminuindo com isso as alterações emocionais decorrentes, como depressão, desinteresse sexual ou perda de feminilidade.

A reconstrução pode ser realizada com tecidos locais, no caso de retirada parcial da mama, com tecidos a distância ou com uso de expansores e próteses de silicone nos casos de retirada total.

A reconstrução da aréola e do mamilo é feita secundariamente, de 3 a 6 meses após a reconstrução sob anestesia local.

Imagens ilustrativas:

Abaixo: Reconstrução mamária com expansor tissular (prótese):

Abaixo: Reconstrução mamária com retalho m-abdominal:

Abaixo: Reconstrução mamária com retalho m-dorsal: