Curiosidades sobre o implante de silicone

A cirurgia plástica estética ou reparadora para implantar silicone nos seios é uma intervenção comum entre as mulheres brasileiras. De acordo com o último Censo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), em 2016 foram realizadas 288.597 cirurgias para aumento das mamas. Nesse artigo vamos exibir algumas dúvidas levantadas por muitas pacientes e visitantes no nosso site:


O implante de silicone afeta a amamentação? - O silicone pode interferir na produção do leite?

Quando o procedimento cirúrgico inclui a prótese através de uma incisão embaixo das mamas (tecnicamente chamada de "via inframamária") ou quando é incluída pela via axilar, não há cortes na glândula nem nos ductos mamários. Dessa forma não há prejuízo na amamentação.


É necessário trocar a prótese com o tempo, existe uma data de validade da prótese?

As próteses que são fabricadas com a tecnologia mais moderna e atualizada não possuem prazo de validade. Com essas novas tecnologias de silicone, a troca da prótese só é indicada em caso de alguma complicação, como uma ruptura por exemplo.


Se a paciente escolher um tamanho de prótese maior que o ideal para seu biotipo indicado, existe algum risco?

Sim, existe. Já foram realizados vários estudos clínicos que encontraram algumas estrias e sinmastia, que é o termo técnico que designa a união das mamas na região central do tórax. Para diminuir esse risco, o ideal é seguir a recomendação do tamanho indicado pelo cirurgião plástico.


A prótese pode alterar o diagnóstico preventivo de exames de imagem, como mamografia ou ultrassom?

Não. A presença de próteses mamárias não interfere na realização dos exames preventivos para detecção de doenças mamárias. Pode-se fazer normalmente a mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética.


Pode haver rejeição à protese de silicone?

Depende: nos estudos clínicos conduzidos por diversos centros de estudos de medicina em todo o mundo, não foram encontradas evidencias de rejeição da prótese de silicone pelo corpo humano. O que foi encontrado era complicação causada por processo infeccioso (patogênico) ou inflamatório ao redor da prótese de silicone ou do local da incisão cirúrgica. 

Em alguns desses casos foi necessária a retirada da prótese. Após o tratamento adequado e finalizado do processo infeccioso ou inflamatório, é possível incluir novamente a prótese de silicone.

O fato é que a prótese em si não é rejeitada pelo organismo da mulher.


Existe uma idade indicada para colocar a prótese de silicone?

A idade mínima para a colocação de próteses é definida individualmente: as mamas devem ter completado totalmente sua formação e crescimento, o que se dá entre os 14 e 18 anos de idade. Não há idade máxima para se colocar ou trocar a prótese de silicone, desde que as condições de saúde da paciente permitam uma intervenção cirúrgica segura.


Como saber o tamanho ideal para cada organismo (biotipo)?

A definição do tamanho ideal para a paciente leva em conta alguns fatores: medidas de altura e largura da caixa torácica, volume desejado pela paciente, medidas e forma inicial das mamas etc. Somente após uma consulta com um cirurgião plástico é que o volume poderá ser definido para a cirurgia.


Qual o tipo de prótese mais seguro para a escolha da paciente?

Assim como a escolha do tamanho, vários fatores influenciam na escolha da tecnologia utilizada na fabricação da prótese de silicone. Na consulta com o cirurgião plástico, esses detalhes são apresentados para a paciente.


Existe perigo de estourar ou vazar?

Sim, a prótese pode se romper. Estudos realizados por institutos de medicina e saúde nos Estados Unidos indicam que de 1 a 5% das próteses se rompem num prazo de 10 anos após a implantação. O bleeding (vazamento) tem diminuído ao longo dos últimos anos, devido à evolução da tecnologia da fabricação das próteses de silicone.


Existe alteração da sensibilidade dos mamilos ou das mamas após a cirurgia?

Pode haver diminuição da sensibilidade das mamas, normalmente elas são parciais e reversíveis. Alguns estudos apontam que a maioria das pacientes que permaneceram com alteração da sensibilidade fariam a cirurgia novamente. Isso demonstra que a melhoria da autoestima supera eventual alteração da sensibilidade.


Como é a recuperação pós-cirúrgica?

O período de recuperação da cirurgia de próteses mamárias é curto. Durante a primeira semana, há necessidade maior de repouso. Havendo uma boa evolução, eventos menos desgastantes como um jantar ou caminhadas curtas já estarão liberados. Em um mês a paciente já retomou a maioria das suas atividades, incluindo exercícios físicos moderados.


Sempre procure um especialista que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.